Conheci o blog da Erika há pouco tempo e logo virei seguidora assídua. Fiquei impressionada pela qualidade e quantidade de posts, sempre ricos em informações interessantes e dicas pra lá de geniais. Já imaginou fabricar o seu próprio Moroccanoil, aquele creme de quase duzentos reais? A Erika ensina! Foi tingir o cabelo e ele começou a cair? Ela também ajuda a solucionar o problema, ou pelo menos a lidar com ele. A propósito, ela mesma passou por um corte químico durante um procedimento feito em casa, mas ao invés de chorar as pitangas, usou da própria experiência para ajudar outras pessoas a superarem este tipo de desastre, que pode acontecer com qualquer um, ou pelo menos com quem não tem medo de errar, como a Erika, afinal, a vida é muito curta, não é mesmo?

Essa carioca da gema, como ela própria se autodenomina, mora no interior de São Paulo, tem 47 anos (não parece!) e dois filhos, um de 28 e outra de 17. (Sério!) É formada em Educação Física e pós graduada em Anatomia Humana e Biomecânica. Tem formação técnica em Shiatsuterapia e Yoga, além disso é Reikiana, estuda aromaterapia e produz sabões artesanais. Sua filosofia pessoal preza o equilíbrio do corpo e da mente,e  para isso, os cuidados com a saúde e bem estar físico, emocional, mental e espiritual. É vegetariana porque ama os animais e também uma apaixonada por cosmética natural e produtos orgânicos. Sua paixão a estimula a estudar tudo sobre tratamentos naturais, principalmente, aqueles relacionados aos cabelos. Quer saber mais sobre ela e sobre o blog Clube do Cabelo e Cia? Leia a entrevista na íntegra:



Preciosas Bobagens – Conheci o seu blog recentemente e fiquei apaixonada pela qualidade do conteúdo e quantidade de postagens, cheguei a estimar que ele tivesse mais de cinco anos de existência, mas pelo que li, completará um ano agora em setembro. Conta pra gente como surgiu o blog e essa vontade de dividir seus conhecimentos com o público internauta? 

Erika Nasch- A ideia do blog, na verdade, surgiu do meu marido…rs. Ele me disse: Já que você adora ficar pesquisando e fazendo experiências no cabelo, por que não cria um blog sobre isso? Eu curti a ideia, e criei.

Preciosas Bobagens – Como você se definiria em poucas palavras?

Erika Nasch- Eu me defino como uma pessoa questionadora, que busca estar sempre aprendendo coisas novas,  tentando me conhecer cada vez mais, e procurando ser melhor a cada dia.

Preciosas Bobagens – O que você acha que explica o sucesso do blog além da informação de qualidade, dicas econômicas e feedback ao público. Acha que tem a ver com a paixão das mulheres por seus cabelos, a sua paixão pelos cabelos, ou a sua paixão pelo que você faz?

Erika Nasch – Eu diria que é tudo isso junto.

Preciosas Bobagens – Com o que trabalha atualmente? Se dedica integralmente ao blog? Vi que tem filhos? Você mora com eles, ou seja, é mãe também em tempo integral?  

Erika Nasch– Depois de trabalhar dando aulas em academias por 12 anos, e como professora de educação física em escolas do município do Rio de Janeiro por quatro anos, cansei de trabalhar para os outros, e resolvi ser autônoma, trabalhando como personal trainer, professora de Yoga e Shiatsuterapeuta. Tenho dois filhos, um de 28 e uma de 17. O mais velho já é formado,e tem seu emprego. A mais nova está fazendo vestibular. Ambos moram no Rio. Não moram comigo no momento.

Preciosas Bobagens – É difícil ser mulher no mundo de hoje: conciliar cuidados pessoais, com maternidade, profissão, e no seu caso, com um blog repleto de informações? Nesse caso qual a sua receita para manter o equilíbrio, a yoga ajuda?

Erika Nasch- Sinceramente, não acho difícil ser mulher. A dificuldade da mulher está na visão que ela tem do que é “ser mulher”. Penso que essa dificuldade é fruto de um sistema patriarcal, o qual eu abomino. (Eu também!)A Yoga ajuda em tudo, porque é uma filosofia de vida que traz autoconhecimento e mudanças de hábitos. Eu acredito que nós fazemos nossa vida e nosso tempo. Minha vida é super tranquila. Faço meus horários, e faço apenas o que eu gosto, e o que me dá vontade de fazer. A vida é simples. O ser humano que complica.

Preciosas Bobagens – Você é Reikiana,  formada em Educação Física, Shiatsuterapia e Yoga. Essa formação toda remete a cuidados com o corpo e a mente, você sempre buscou aliar estes dois estilos de vida? A propósito, foi este estilo de vida que contribuiu para que se aprofundasse em tratamentos naturais, como os com óleos vegetais e essenciais? 

Erika Nasch- Sim, desde a época da faculdade, eu já me interessava por Yoga e em ter um estilo de vida saudável. Minha monografia foi sobre ginástica natural. Estudei fitoterapia, medicina chinesa, acupuntura, e tudo que é ligado à saúde. Tratamentos naturais e alternativos me interessam.

“A Yoga ajuda em tudo, porque é uma filosofia de vida que traz autoconhecimento e mudanças de hábitos. Eu acredito que nós fazemos nossa vida e nosso tempo. Minha vida é super tranquila. Faço meus horários, e faço apenas o que eu gosto, e o que me dá vontade de fazer. A vida é simples. O ser humano que complica.”

Preciosas Bobagens – Você acredita que após anos de ‘evolução’ está havendo uma retomada do homem ao passado. Ou seja, com as novas tecnologias e indústria dos cosméticos a todo vapor, fomos percebendo que voltar para trás, ou seja, para as opções naturais, longe de produtos químicos agressivos, como o sulfato do shampoo, é uma forma de resgatar a natureza perdida e a verdadeira beleza?  

Erika Nasch- Eu acredito que a vida estressante das grandes cidades e as doenças causadas por conta disso estão fazendo as pessoas ficarem mais conscientes e preocupadas com a saúde em geral (corpo e mente). O quanto mais pudermos nos livrar de colocar produtos sintéticos e químicos no nosso organismo, menos doenças teremos. Isso é fato. O sulfato do shampoo nem é uma das piores coisas, diante de tanta química cancerígena que está contida nos conservantes, corantes, aromatizantes, etc. Resgatar a verdadeira beleza pra mim, é se livrar dos padrões de beleza que a mídia impõe, e perceber a beleza natural e única, que cada um de nós possui.

Preciosas Bobagens – Por que prioriza o uso de produtos naturais e orgânicos? O que está usando no momento? Quais os seus produtos favoritos? Comente.

Erika Nasch- Eu priorizo o uso de produtos naturais e orgânicos por serem mais saudáveis.Eu não tenho produtos favoritos. Não gosto de rotular nada como sendo o melhor ou o pior, e também não tenho apego a produtos, Hoje eu uso um, amanhã uso outro. Gosto de experimentar coisas novas, e estou sempre variando. No momento tenho usado os produtos da Herbia, Sal da Terra, Multivegetal, .. mas a minha intenção é produzir meus próprios cosméticos.

“O quanto mais pudermos nos livrar de colocar produtos sintéticos e químicos no nosso organismo, menos doenças teremos. Isso é fato. O sulfato do shampoo nem é uma das piores coisas, diante de tanta química cancerígena que está contida nos conservantes, corantes, aromatizantes, etc. Resgatar a verdadeira beleza pra mim, é se livrar dos padrões de beleza que a mídia impõe, e perceber a beleza natural e única, que cada um de nós possui.”


Preciosas Bobagens – Pelo que li no descritivo do seu blog, a proposta é oferecer aos leitores dicas suas e de especialistas, além de compartilhar experiências vivenciadas, como as suas peripécias pelo mundo de tratamentos capilares, químicas e afins. Pelo que pude perceber, você não tem medo de mudar, e disse em uma das postagens que cabelo é apenas um acessório.  Acredita que a maioria das mulheres ainda está condicionada a uma cultura do longo e liso, como se o comprimento do cabelo fosse a fonte da feminilidade? O que você acha disso?

Erika Nasch- Com certeza acredito! Infelizmente, a maioria das pessoas ainda está muito apegada aos padrões de beleza sociais, impostos pela mídia, e tentando se moldar a ela, pois isso faz com que elas ‘sejam aceitas’ pela sociedade machista.

Preciosas Bobagens – Você faz todos os procedimentos capilares em casa? Aprendeu tudo sozinha? Teve alguma decepção com um cabeleireiro que a fez optar pelo ‘faça você mesma’? Acredita que toda mulher tem uma história de horror em salão de beleza para contar?

Erika Nasch- A única coisa que eu não faço em casa é cortar os cabelos. (Só passo uma navalhinha de vez em quando..rsrs). Claro que já saí frustrada de salão várias vezes…quem não? Mas não chego a ter trauma de salão por isso .Eu sempre gostei de me virar sozinha. Cheguei a começar um curso de cabeleireiro, mas desisti, porque sabia que não ia trabalhar com isso. Eu gosto mesmo é de tudo que diz respeito à parte química, como colorações, transformações, etc. E então resolvi estudar e experimentar por conta própria. Assim, quando eu quiser fazer alguma coisa, simplesmente vou e faço. Não dependo de ter que marcar hora com ninguém, e ainda economizo tempo e dinheiro.

Preciosas Bobagens – O seu cabelo atual está curto (ainda está descolorido?) devido a um corte químico que você passou, em consequência de um erro cometido no espaço de tempo entre químicas.  Achei admirável sua postura de transformar erros em acertos, ou seja, usou um erro seu, e inclusive postou fotos, para orientar seus leitores sobre o que não devem fazer se não quiserem passar pelo que você passou, e tudo isso com muito bom humor.  Comente este episódio e fale sobre essa sua capacidade de superação. Acredita que compartilhar seus erros possa ajudar outras pessoas, além de criar empatia, afinal, por mais conhecimento e informação que a gente tenha, estamos todos sujeitos ao erro, este é o objetivo do blog, não?

Erika Nasch- Quem não erra? Mesmo profissionais da área cometem erros (de qualquer área). Existe alguma maneira de aprender sem errar? A gente só aprende na prática mesmo. Por que não mostrar o corte químico aos meus leitores? Não teria lógica alguma ocultar um erro, já que a intenção do blog é mostrar minhas experiências, sejam elas boas ou ruins. No momento estou loira. Acabei de fazer a primeira transformação após o corte químico. Cabelos curtos, sempre!

“Infelizmente, a maioria das pessoas ainda está muito apegada aos padrões de beleza sociais, impostos pela mídia, e tentando se moldar a ela, pois isso faz com que elas ‘sejam aceitas’ pela sociedade machista.”




Preciosas Bobagens – Você sempre destaca que adora mudar o cabelo, experimentar químicas, cores e cortes. O que você já fez no seu cabelo, e como ele está atualmente? Vi em uma foto que seu natural é bem cacheado. Com o corte curto você pretende retornar ao natural ou pretende progressiva-lo/relaxá-lo ou alisá-lo novamente?  Por que optou por estes procedimentos no passado?

Erika Nasch- Eu comecei a pintar o cabelo com uns vinte e poucos anos, pelo simples prazer de querer variar a cor dele. Atualmente ele está no tom loiro (não sei até quando). Meu cabelo cacheou após a minha segunda gravidez. Infelizmente, naquela época eu não cuidava dele como deveria, e ele vivia sempre ressecado. Então optei por alisar, para facilitar a minha vida. Realmente facilitou, mas depois disso não consegui ter meus cachinhos de volta. E então resolvi mudar através de cortes, e fui diminuindo o tamanho dele, cortando aos poucos, até chegar no curto; e hoje posso dizer que foi a melhor coisa que eu fiz.A única coisa que posso te afirmar em relação ao meu cabelo, é que ele sempre ficará curto, pois é muito prático, e bem mais fácil de cuidar, principalmente pra quem adora viver mudando de cor. Não abro mais mão da praticidade do curto. Quanto ao que eu pretendo fazer em relação à químicas e cores, é impossível te dizer, porque eu não tenho a mínima ideia do que farei amanhã..rsrs

Preciosas Bobagens – A proposta inicial do meu blog, o Preciosas Bobagens, era tratar de assuntos cotidianos, através de crônicas da vida real, com temática comportamental e pós-moderna.  Não vi retorno algum. Após um tempo difícil de transição capilar, e com o cabelo natural de volta (eu fazia progressiva no meu cacheado), as pessoas começaram a me abordar na rua para perguntar como eu cuidava do meu cabelo. Me peguei dando consultoria para desconhecidas e pensei: por que não trazer isso pra cá? Daí mudei todo o foco do blog, e o retorno, ou seja, interação com os leitores, aos poucos começa a aparecer. De onde você acha que vem essa ligação das mulheres com o cabelo? Você acha que as cacheadas e crespas sofrem preconceito com o formato do cabelo?  Você concorda que há uma cultura preconceituosa propagada pela mídia, onde há poucas referências de crespos e cacheados? 

Erika Nasch- Sim, acredito que essa ligação mulher-cabelo seja cultural e totalmente padronizada pela mídia. E daí surgem os preconceitos. Mas acho que os ‘lisos’ estão começando a ficar ‘out’, não acha?
Acho que os cachos estão sendo mais valorizados.

Preciosas Bobagens – Você já passou por alguma situação em que sentisse esse preconceito (quando usava os fios cacheados)? Isso te influenciou de alguma forma?

Erika Nasch- Comigo nunca aconteceu nenhum tipo de preconceito quanto aos cabelos cacheados. Muito pelo contrário, apesar de não ser bem cuidado, as pessoas sempre elogiavam meu cabelo rs

“Acredito que essa ligação mulher-cabelo seja cultural e totalmente padronizada pela mídia. E daí surgem os preconceitos. Mas acho que os ‘lisos’ estão começando a ficar ‘out’, não acha? Acho que os cachos estão sendo mais valorizados.”



Preciosas Bobagens – Como você cuida do seu cabelo atualmente? Aliás, como consegue conciliar cuidados capilares com a sua rotina? Qual a dica que você dá para as nossas leitoras. É possível cuidar do cabelo em casa e sem gastar muito? 

Erika Nasch- Não acho que cuidar do cabelo tome muito tempo. Como já disse, o tempo é a gente que faz… É possível cuidar do cabelo em casa, desde que a pessoa procure se informar e se aprofundar melhor no assunto. A internet está aí pra quem quiser aprender. Hoje em dia é possível aprender qualquer coisa que você queira; basta pesquisar e estudar, e usar o bom senso para saber distinguir as informações que realmente prestam. Algumas receitas que dou no blog são retiradas de materiais profissionais sobre cosmetologia, estética, aromaterapia, fitoterapia, saúde, etc.. são livros e apostilas que eu tenho e estudo.
Outras, eu pesquiso e me informo com profissionais da saúde a respeito; outras são de amigos(as) com conhecimento na área.

Preciosas Bobagens – Que recado você daria para mulheres que querem voltar o cabelo ao natural mas não sabem como lidar com a cultura preconceituosa propagada pela mídia?

Erika Nasch- Eu diria para elas que não existe felicidade sem autoaceitação. Uma pessoa que não se ama e não se aceita, viverá sempre tentando se adequar aos modelos sociais, e será eternamente escrava das opiniões alheias, ou seja, será sempre uma pessoa infeliz. A palavra-chave é LIBERTE-SE.

“Não existe felicidade sem autoaceitação. Uma pessoa que não se ama e não se aceita, viverá sempre tentando se adequar aos modelos sociais, e será eternamente escrava das opiniões alheias, ou seja, será sempre uma pessoa infeliz. A palavra-chave é LIBERTE-SE.”

Gostou da entrevista? Quer acompanhar as mudanças da Erika? Leia mais aqui: http://www.clubedocabeloecia.com.br/2013/01/mudancas-naturais-do-cabelo-ao-longo.html

  1. Li toda a entrevista e achei muito boa! Realmente é possível aprender e relembrar muitas coisas lendo!! Por exemplo, eu sei que há tempo para tudo embaixo do Sol, isso é até bíblico, mas se não ter disciplina ao menos para mim é um tanto difícil conseguir isso.
    Quanto a aceitação dos nossos cabelos, bem, meu cabelo natural é cacheado, alisei por um tempo e enquanto consegui mantê-lo bonito permaneci com ele. No entanto ele começou a cair, e com o apoio do meu irmão que adora tudo o mais natural possível, e com leituras sobre a valorização da nossa própria genética, eu decidi passar pelo período de transição. É um caminho muito difícil mas valeu a pena. Através de vlogs aprendi a cuidar do cabelo cacheado e agora o amo de paixão. Os cuidados que antes tinha como especiais agora são rotinas.
    É muito bom se aceitar, saber se cuidar, e se achar cada vez mais linda! ^^

  2. Oi, Ruth! Fico feliz que tenha gostado da entrevista. Também passei pela transição e sei o quanto ela pode ser difícil. O bom ´=e que no final sempre vale a pena. A autoaceitação não tem preço, ótimo que tenha conseguido chegar ate ela. ´=e preciso passar pelo purgatório para chegar ao paraiso! bjks

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Comentários no Facebook